Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência Social no Estado do Piauí - SINTSPREVS/PI
Boa madrugada! Teresina, 19 de março de 2019
19/02/2018 - 10:44

Sintsprevs-PI alerta que intervenção militar coloca democracia brasileira e a eleição presidencial de 2018 em risco
Dirigentes sindicais e representantes de entidades sindicais e estudantis piauienses fizeram nesta segunda-feira, 19/02, na Praça Rio Branco, no centro de Teresina, ato protesto contra a reforma da previdência. À tarde, houve um ato de protesto no aeroporto da capital. O presidente do Sintsprevs-PI, Antônio Machado, afirma que além da retirada de direitos feita através da reforma trabalhista e a terceirização, o governo Temer agora vem ponto em prática uma intervenção militar, como a que está acontecendo no Rio de Janeiro. “Mais uma vez os pobres são atacados, agora pelo decreto do governo Temer que impõe uma ocupação do exército nas favelas do Rio de Janeiro, como se o problema da segurança pública não fosse um problema social e, isso não resolve. Essa medida serve de alerta para os movimentos sociais, fiquemos atentos e de prontidão, pois isso pode descambar para repressão política e a suspensão das eleições diretas para presidente este ano”. Dezenas de militantes distribuíram panfletos para pessoas nas ruas e no comércio, se revezaram em num carro de som onde alertaram sobre as mudanças propostas pelo governo, que aumentam o tempo de contribuição e a idade para que os brasileiros mais pobres possam se aposentar. Para Machado, "o governo com a reforma quer em enfraquecer a previdência social pública e fortalecer a seguradoras privadas através da previdência complementar, aumentar o tempo de contribuição e de idade dos mais pobres, forçar o pensionista ficar apenas com uma pensão quando falecer um membro do casal, fazer com o que os trabalhadores rurais passem a contribuir por 15 anos mensalmente e que os indigentes só se aposentem aos setenta anos, ou seja, depois de mortos”. “Só com o pleno retorno da democracia, um governo legitimamente popular poderá dialogar com a sociedade, mostrar transparência da arrecadação e gastos de previdência social. Para isso, será imperativo ouvir e debater com o povo e entidades organizadas, fazer um plebiscito ou referendum para legitimar ou não as principais decisões a serem efetivadas”.



últimas notícias:

15/03 | Seminário vai debater dívida pública e reforma previdência
15/03 |
14/03 | Servidores pressionam Congresso contra reforma da previdência
08/03 | Sintsprevs-PI condena MP 873 que inviabiliza contribuições
08/03 | SOU MULHER, SOU GUERREIRA!
06/03 | Bolsonaro dificulta contribuições sindicais em folha de pagamento
01/03 | Capitalização: o ‘Cavalo de Troia’ da reforma da previdência, que significa em pegar o dinheiro dos aposentados e coloca-lo para ser administrado pelos banqueiros.
01/03 | Reforma: veja proposta na regra de transição para servidor
27/02 | PEC tira da Constituição reajuste de benefícios pela inflação
22/02 | Dirigentes sindicais defendem fórmula 86/96 para aposentadorias
21/02 | Aposentadorias e pensões: Bolsonaro propõe ferrar trabalhadores.
20/02 | CUT e Sindicatos vão as ruas repudiarem reforma da previdência. Governo propõe aumentar idade, tempo de contribuição e capitalizar a previdência.
18/02 | Campanha Salarial 2019: pauta de reivindicações e calendário são aprovados
15/02 | Previdência: governo quer elevar alíquota do servidor para 14%
14/02 | Sintsprevs-PI apoia curso de Geoprocessamento em Saúde
14/02 | CPI da Toga que investigaria Judiciário é arquivada
14/02 | Fenasps leva reivindicações ao novo presidente do INSS
08/02 | CPI do Senado vai investigar conduta irregular de magistrados
08/02 | Fórum Nacional dos Servidores vai elaborar Plano de Lutas
01/02 | Lula só será solto com mobilização popular, diz irmão do ex-presidente
CONTATOS
  • SINTSPREVS-PI
    Rua Desembargador Freitas, 879, Centro
    Cep: 64.000-240
    Tel: (86) 3223-3988
    sintsprevs@bol.com.br