Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência Social no Estado do Piauí - SINTSPREVS/PI
Boa Tarde! Teresina, 09 de dezembro de 2018
19/02/2018 - 10:44

Sintsprevs-PI alerta que intervenção militar coloca democracia brasileira e a eleição presidencial de 2018 em risco
Dirigentes sindicais e representantes de entidades sindicais e estudantis piauienses fizeram nesta segunda-feira, 19/02, na Praça Rio Branco, no centro de Teresina, ato protesto contra a reforma da previdência. À tarde, houve um ato de protesto no aeroporto da capital. O presidente do Sintsprevs-PI, Antônio Machado, afirma que além da retirada de direitos feita através da reforma trabalhista e a terceirização, o governo Temer agora vem ponto em prática uma intervenção militar, como a que está acontecendo no Rio de Janeiro. “Mais uma vez os pobres são atacados, agora pelo decreto do governo Temer que impõe uma ocupação do exército nas favelas do Rio de Janeiro, como se o problema da segurança pública não fosse um problema social e, isso não resolve. Essa medida serve de alerta para os movimentos sociais, fiquemos atentos e de prontidão, pois isso pode descambar para repressão política e a suspensão das eleições diretas para presidente este ano”. Dezenas de militantes distribuíram panfletos para pessoas nas ruas e no comércio, se revezaram em num carro de som onde alertaram sobre as mudanças propostas pelo governo, que aumentam o tempo de contribuição e a idade para que os brasileiros mais pobres possam se aposentar. Para Machado, "o governo com a reforma quer em enfraquecer a previdência social pública e fortalecer a seguradoras privadas através da previdência complementar, aumentar o tempo de contribuição e de idade dos mais pobres, forçar o pensionista ficar apenas com uma pensão quando falecer um membro do casal, fazer com o que os trabalhadores rurais passem a contribuir por 15 anos mensalmente e que os indigentes só se aposentem aos setenta anos, ou seja, depois de mortos”. “Só com o pleno retorno da democracia, um governo legitimamente popular poderá dialogar com a sociedade, mostrar transparência da arrecadação e gastos de previdência social. Para isso, será imperativo ouvir e debater com o povo e entidades organizadas, fazer um plebiscito ou referendum para legitimar ou não as principais decisões a serem efetivadas”.



últimas notícias:

07/12 | Piauienses são resgatados em condições de escravidão em SC
06/12 | Piada: Bolsonaro diz que "é horrível ser patrão no País"
30/11 | Sintsprevs-PI fará Confraternização de Natal dia 08 de dezembro
26/11 | MP do reajuste dos servidores só em 2020 pode ser derrubada
22/11 | O presidente performático, oco, que é aparência e não essência
16/11 | Sintsprevs-PI através do Conselho de Saúde do Piauí, debate alternativas aos médicos cubanos para que população pobre não fique sem assistência.
16/11 | Cubanos deixam o Mais Médicos após ataques de Bolsonaro
12/11 | Passeio dos aposentados ao litoral piauiense foi só alegria
09/11 | Fenasps e Sintsprevs-PI repudiam extinção do Ministério do Trabalho!
09/11 | Trabalho escravo vai aumentar com o fim do Ministério do Trabalho
08/11 | Senado aprova reajuste de 16,3% para ministros do STF
31/10 | Bolsonaro quer fazer reforma da previdência antes de assumir
26/10 | Propostas de Bolsonaro e Haddad para o serviço público
18/10 | O discurso do ódio e violência agride minha inteligência
18/10 | Olá amigos(as) que defendem o SUS e o controle social. Saiba mais sobre o contexto da criação do Conselho de Saúde do Piauí.
18/10 | Empresas bancam campanha de fake news contra Haddad (PT)
17/10 | Funcionalismo público é o grande problema da Previdência; diz Bolsonaro
09/10 | Bolsonaro x Haddad: propostas para previdência e saúde
05/10 | Democracia é preferida por 69% dos eleitores brasileiros
25/09 | Temer baixa decreto que amplia terceirização do funcionalismo
CONTATOS
  • SINTSPREVS-PI
    Rua Desembargador Freitas, 879, Centro
    Cep: 64.000-240
    Tel: (86) 3223-3988
    sintsprevs@bol.com.br